fechar

Imprimir

Domingo, 24 de agosto de 2008 - 10h26 - EGO

Roberta Close: a um passo dos filmes pornôs e de ensaio nu

La Close: Mulher de 40 prestes a aparecer nua

Um dos grandes personagens dos anos 80 pode voltar a figurar em breve no cenário nacional. E não é em nenhuma festa Ploc, que revive a música e a moda que marcaram há quase três décadas atrás, mas na banca de jornal. Ícone de beleza e polêmica naqueles tempos, Roberta Close acaba de receber proposta da revista “Sexy” para posar nua e, reza a lenda, convite para fazer filme pornô também.

 

O EGO foi atrás da celebrada transexual para saber que parte dessa história é verdade, e se ela está disposta a mostrar a beleza que a eternizou em revistas de nu como “Playboy”, “Ele & Ela”, e na própria “Sexy”, que agora quer um revival.

“Tive uma primeira reunião com o pessoal da revista, mas não tem nada certo. Mas queria que este novo ensaio fosse uma coisa que ficasse na lembrança das pessoas. Que fosse para comprar e guardar”, diz ela, demostrando certa vontade de dizer sim.

 

Já sobre o pornô, ela nega ter recebdio proposta, mas revela que anda pensando no assunto.


“Não recebi proposta de ninguém. Mas sei que agora, no Brasil, vários artistas estão trabalhando com a indústria pornô. Se acontecesse, gostaria de alguma coisa como ‘Último Tango Paris’”, diz Roberta, referindo-se ao filme com a famosa cena da manteiga de Marlon Brando e Maria Schneider. Leia mais do papo com Roberta close a seguir.

 

É verdade que você foi convidada para posar nua pela revista “Sexy”?
ROBERTA CLOSE: É sim, mas entre convidar e aceitar tem uma grande diferença (risos).

 

Como você recebeu esse convite?

ROBERTA CLOSE: Com ansiedade. Sou muito exigente comigo mesma. Gostaria que fosse tudo da melhor maneira possível, com ótima qualidade, fotógrafo e luz. Fazer foto nua de novo é como fazer minha primeira foto. Mas vida é um eterno recomeço. Mas não gostaria que caísse na vulgaridade.


Você se reuniu com a equipe da revista na quarta-feira (20). Como foi esse encontro?
ROBERTA CLOSE: Não fiz nenhuma exigência. Só quis conhecer a equipe, que é nova. Foi uma apresentação. Minha última matéria desse tipo já tem 10 anos. Foi para a própria “Sexy”. Mas acho que agora seria o último ensaio. Não me vejo, com a minha idade, fazendo outro ensaio nu daqui a 10 anos.


Você está com que idade?
ROBERTA CLOSE: Mais de quarenta.

Como você saiu dessa reunião? Está inclinada a aceitar?
ROBERTA CLOSE: Sim. Fiquei muita bem impressionada. Queria que este novo ensaio fosse uma coisa que ficasse na lembrança das pessoas. Que fosse para comprar e guardar


E cachê, quanto pesa a questão financeira na sua decisão?
ROBERTA CLOSE: Eu, quando faço um trabalho, não penso sobre isso. Penso no trabalho. Se começar a pensar só em dinheiro, a coisa não sai. Eu, como artista, gosto de falar da roupa, da maquiagem, da fotografia. E ainda não me fizeram uma proposta. Também não vou cuidar disso. 


Se tudo der certo, você deve ser capa de que mês?
ROBERTA CLOSE: Ainda não sei. Mas talvez dezembro ou janeiro. Tem também a proposta de ser em fevereiro de 2009, para fazer uma referência ao carnaval.

 

E você também foi convidada para estrelar um filme pornô. É verdade?
ROBERTA CLOSE: Não recebi proposta de ninguém. Mas sei que agora, no Brasil, vários artistas estão trabalhando com a industria pornô como o Alexandre Frota, que fez um filme bem ousado. Mas não tive convite. Se tivesse, ficaria bem preocupada em achar um ator para contracenar comigo. Também teria de ver com a minha família e com o meu marido.


Mas se esse convite se concretizasse, existiria a possibilidade de você aceitar?

ROBERTA CLOSE: Na vida existe a possibilidade para tudo. Tem jeito pra tudo. Só não tem jeito para a morte. Como hoje em dia as atrizes fazem, não teria por que eu ter pudor. A Gretchen, a Leila Lopes, o Alexandre Frota. Todos fizeram. Antes, chamavam de pornochanchada. Agora é pornô mesmo. Mas sempre existiu. A Vera Fischer já fez pornochanchada, a Vera Gimenez também. Lembro de um filme em que o Cláudio Marzo transava com uma melancia. Hoje em dia esses filmes viraram cult. Quem sabe um dia um filme meu não vira cult?

 

Roberta em dois momentos da carreira, na década de 80

Você faria muitas exigências para aceitar fazer um pornô? Com quem gostaria de contracenar?

ROBERTA CLOSE: Não sei. Não tenho a mínima idéia de como funciona esse universo.

 


Mas seria alguém badalado nesse universo?

ROBERTA CLOSE: Não sei como eles iam querer fazer o filme. Se iam querer cenas de lesbianismo.

 

Tem alguma coisa que você não faria?
ROBERTA CLOSE: Acho que você ou faz ou não faz. Para topar e depois ficar cheia de coisa, melhor não fazer. Quem está na chuva é para se molhar.

 

Então, se você topar, está valendo tudo?
ROBERTA CLOSE: Sim. Ou você faz ou não faz.

 


Alexandre Frota diz que não faz mais filme pornô, mas seria uma pessoa com a qual você gostaria de contracenar?
ROBERTA CLOSE: Não. Ela já contracenou com um transexual, e não gostaria de misturar o trabalho dele com o meu trabalho.

 

Acha que seu marido deixaria?
ROBERTA CLOSE: Não sei. Essas coisas a gente não fica falando. Mas sou uma mulher independente. Sempre trabalhei. Não é porque encontrei o amor da minha vida que vou deixar de fazer.

 

Chegou a assistir ao filme da Leila Lopes? O que achou do pornô light?
ROBERTA CLOSE: Assisti, e acho que com história, contexto, seria bem mellhor. Um filme com uma boa história, uma boa direção e fotografia é sempre bom. Vi algumas histórias no exterior que me encantaram como “Don Juan”, com Jane Birkin e Brigitte Bardot, e “Último Tango Paris” com Marlon Brando e Maria Schneider.


TAGs: roberta closetransexual

Notícias relacionadas

Comentários Comente esta notícia

Deixe seu comentário